Publicado em

O QUE É PARA-RAIO ESTRUTURAL

PARA-RAIO ESTRUTURAL

                          Quando nos referimos a para-raio estrutural, estamos destacando a descida por onde a descarga elétrica é levada até a malha de aterramento. Nestes casos utilizamos as ferragens da estrutura da edificação em questão, os captores Franklin continuam a serem utilizados em prédios até 10 andares e as malhas de aterramento também.

                        Se este sistema for projetado na fase de implantação, teremos um sistema rápido, eficiente e esteticamente perfeito porque fica invisível. Entretanto, nas adequações de edificações mais antigas, a coisa se complica devido a vários fatores. O primeiro deles é a estrutura que não é apropriada para conduzir uma descarga elétrica de um raio.

 

O QUE A ENGENHARIA DIZ SOBRE ESTA TECNOLOGIA 

 

                         Para se ter uma idéia, quando a edificação é projetada para isto, são introduzidos nas ferragens estruturais uma ferragem específica para esta finalidade, visite a página https://tel.com.br/conteudo-tecnico/spda-estrutural/. Mesmo usando esta técnica, alguns engenheiros são contra este tipo de sistema, alegando que o aço do vergalhão pode sofrer uma alteração molecular causado pelo calor da descarga elétrica.

                                 A engenharia classifica isto como stress do material, que pode ceder a qualquer instante causando o desmoronamento da edificação. O segundo fator é a falta de uma malha de aterramento adequada para escoar a descarga elétrica com eficiência e segurança. Malhas de aterramento dependem diretamente de um solo com resistência elétrica muito baixa, na ordem de 5 Ohm, no máximo 10 Ohm.

 

                                        Fora disto a coisa complica, exigindo tratamento do solo com gel despolarizante, ou a utilização de hastes prolongáveis para alcançar uma camada do solo com umidade suficiente para estabelecer uma baixa resistência. Em alguns casos não podemos construir uma malha de aterramento em prédios que foram construídos sobre áreas alagadas com aterro, principalmente onde existiam mangues.

CONCLUSÃO

                                                 Você pode aterrar o mangue, mas ele não morre, ela atua  por debaixo do concreto da malha de aterramento. Ora, onde existe mangue, existe água, nestes casos se for construída uma malha de aterramento teremos um sério problema de infiltração do solo para cima devido aos lençóis  freáticos. A coisa é tão séria, que nestes prédios existem um sistema de bombeamento automático para manter os níveis dos lençóis freáticos baixos no subsolo do prédio.

                                                 O que determina se uma ferragem pode servir como condutora para descarga elétrica atmosférica, é a sua resistência elétrica, que não pode ser maior que 1 Ohm, isto mesmo, 1 Ohm medido com miliohmímetro ou microohmímetro. A norma  NBR 5419 não admite medidas com multímetro.

Gpcosta